Blog

Netflix, Prime Video e Apple TV+ reduzem qualidade de vídeo devido alta demanda na quarentena
A- A A+

A pandemia da Covid-19, doença popularmente conhecida como "novo coronavírus", tem forçado países em todo o mundo adotarem medidas extremas de mitigação e supressão para evitar que a população saia de casa e, dessa forma, possam achatar a curva de contágio do vírus para fazer com que mais pessoas sejam atendidas em hospitais para evitar a crise que acontece em regiões da Europa como Itália, Espanha e como vai acontecer nos Estados Unidos.

Devido isso, por causa da grande quantidade de pessoas em quarentena sem poder sair de casa para trabalhar e estudar, uma maior quantidade de gente acaba passando muito mais tempo assistindo séries, filmes e vendo vídeos em plataformas de streaming, consumindo mais largura de banda de internet e obrigando empresas a reduzir a qualidade de exibição para poder entregar o serviço para todos os assinantes.

Quando foi lançado, o Apple TV+ se vangloriava ao oferecer a melhor qualidade de streaming da época com qualidade 4K e HD por apenas R$ 9,90 ao mês no Brasil, custando apenas US$ 4,99 nos Estados Unidos. Mas por conta do alto consumo nos dias atuais, a empresa está seguindo a mesma estratégia adotada pela Netflix, Prime Video e YouTube ao reduzir a qualidade de reprodução.

Entretanto, a queda de qualidade está sendo mais notável no serviço da Apple que nas concorrentes. Enquanto Netflix e Prime Video mantém a qualidade mínima em HD (1280x720p), o Apple TV+ tem reduzido para 670 pixels de altura (menor que os 720 pixels de altura do HD) e aumentado a compressão da imagem, tornando ela mais borrada e menos definida.

Enquanto isso cria o lado positivo de ter filmes e séries carregando em menos tempo, há também o contratempo de oferecer queda na qualidade geral.

A medida não é apenas uma decisão das próprias empresas, mas sim uma instrução de autoridades europeias que sugeriram que tais companhias reduzissem o uso de largura de banda dos serviços de streaming para que possa ter internet para todos.