Blog

Indústria 4.0 e Transformação Digital: saiba como uma coisa pode levar à outra
A- A A+

Indústria 4.0

Você já imaginou de que forma a sua empresa pode alcançar melhores resultados e se beneficiar dos conceitos da Indústria 4.0 e da Transformação Digital?

‘Indústria 4.0’ e ‘quarta revolução industrial’ têm sido amplamente empregados quando os assuntos abordados são novas tecnologias, sistemas inteligentes ou evolução disruptiva.

IoT, big data, robôs autônomos, computação em nuvem, segurança cibernética, manufatura aditiva, simuladores, integração de sistemas, realidade aumentada, impressão 3D, criptomoedas… Ufa! Afinal, de onde saiu tudo isso?

O termo “Indústria 4.0” ou “Smart Manufacturing” (Fábrica Inteligente) surgiu na Alemanha em 2012 em um contexto muito específico: um projeto para modernizar e aperfeiçoar as indústrias locais, integrando alta tecnologia aos processos de produção industrial.

Nesse cenário, empresas, universidades e governo passaram a atuar em conjunto, utilizando conhecimento tecnológico e inovação como motores para o desenvolvimento econômico.

Por consequência, foram desenvolvidas novas formas de comunicação automática entre os componentes da produção, os meios de monitoramento em tempo real foram aperfeiçoados e a intervenção humana no processo produtivo foi reduzida.

A iniciativa pautou os princípios do que conhecemos hoje como “quarta revolução industrial” ao incorporar os conceitos de operação em tempo real, virtualização, descentralização, modularidade e orientação a serviços ao tradicional setor industrial, através da tecnologia digital, internet e integração da informação.

Essencialmente, essa nova indústria revolucionou o ciclo de vida da produção alterando processos de manufatura, design, operações e sistemas: os mundos digitais e físicos se fundiram.

Em outras palavras, tudo dentro e ao redor de uma planta operacional (fornecedores, distribuidores, unidades fabris, produtos e consumidores) agora são conectados digitalmente, proporcionando uma cadeia de valor altamente integrada.

Essa tendência têm se espalhado pelo mundo ao evidenciar não apenas o crescimento da eficiência produtiva, mas também a redução dos custos de produção, a agilidade nos processos e principalmente o aumento do faturamento do setor.

Alguns países da Europa, EUA e China já possuem em seus planejamentos industriais propostas para a adoção contínua de tecnologias e elementos desta nova indústria. Até 2025, é previsto que esses novos processos reduzirão significativamente os custos de manutenção de equipamentos e o consumo de energia, além de aumentar a eficiência do trabalho em cerca de 10% a 25%.

Indústria 4.0

Bem vindo à Era Digital!

Outros reflexos da quarta revolução industrial podem ser observados nas formas como a tecnologia passou a compor a nossa sociedade: desenvolvemos novas formas de nos relacionar, consumir e viver.

Não se trata apenas da incorporação de novas tecnologias ao nosso cotidiano, tratam-se de mudanças significativas em estruturas socioeconômicas, padrões organizacionais, culturais e comportamentais.

Mais uma vez, os mundos físicos e digitais se fundem, incorporando também o universo biológico. Essa fusão é o que conhecemos como Transformação Digital.

Cada vez mais novas abordagens, comportamentos e atitudes dos consumidores e dos mercados têm sido considerados como base para a geração de ideias e estratégias que influenciam a criação de produtos e serviços pautados em proporcionar experiências profundas de relacionamento. Romperam-se as barreiras da comunicação vertical e o foco passou a ser a interação entre as empresas e os consumidores.

A imensa massa de informações e soluções disponibilizadas ao público consumidor, possibilita o conhecimento aprofundado e facilitado sobre produtos e serviços, o que exige das empresas da era digital o aprimoramento constante do relacionamento com os seus clientes para manter o seu diferencial competitivo.

Além disso, capturar a atenção dos consumidores permite que as empresas obtenham informações sobre hábitos, preferências e comportamentos do público para traçarem estratégias que mantenham a relevância de sua marca e uma presença online consistente, que gere engajamento.

Não basta ser encontrado, é preciso ser lembrado principalmente pela capacidade de proporcionar uma excelente experiência de consumo. Nesse panorama de adaptação constante ao comportamento do consumidor, as empresas da era digital possuem o desafio de se transformarem para permanecer no mercado e satisfazer os seus clientes.

Compreender as mudanças de mercados e clientes é fundamental para entender a importância da transformação digital.

Indústria 4.0

Como se manter relevante?

Alguns estudos indicam que até 2025, 40% das empresas tradicionais, independente do porte ou do modelo de negócio, deixarão de existir em função da incapacidade de se adaptar à era digital.

Nesse sentido, a evolução do pensamento digital é imprescindível para garantir a sobrevivência e a adaptação das empresas às configurações do mercado, o que exige novas formas de gerenciar produtos, projetos, equipes e pessoas.

A empresa precisa ser completamente envolvida para permitir que o processo de transformação digital seja eficiente, englobando a adaptação da cultura e do negócio às novas tecnologias.

Estratégias para a evolução do pensamento digital empresarial devem ser construídas considerando os fatores culturais, processuais e humanos. Não se trata apenas de adotar novas tecnologias ou automatizar processos, mas sim de uma mudança significativa no modelo mental e nos conceitos da empresa e das pessoas.

Quanto antes as empresas entenderem as necessidades e desejos do mercado e souberem transformar esse conhecimento em ações, mais terão resultados promissores nos processos de transformação digital.

Para possibilitar o aumento do QI digital nas empresas, abrindo novas possibilidades de negócio e tornando-as capazes de gerar mais inovação e melhorar os seus resultados, algumas práticas podem ser implementadas considerando os seguintes princípios:

1) Possibilitar o acesso facilitado às informações adotando práticas de comunicação amplas e ágeis.

2) Manter os diferentes setores da empresa integrados para propiciar a colaboração e a sintonia do trabalho.

3) Adotar práticas decisórias e de acompanhamento de desempenho baseados em dados.

4) Explorar a tecnologia digital disponível no sentido de utilizar ferramentas de apoio a gestão e à tomada de decisão.

5) Incentivar a apoiar a exploração de novas ideias permitindo que as áreas de negócio tenham autonomia para prototipar, testar, aperfeiçoar e escalar inovação.

6) Criar rotinas de aprendizado e atualização constantes permitindo gerar maior engajamento.

7) Investir na melhoria e na automação dos processos operacionais internos de forma a tornar o trabalho mais simples ou eficiente.

8) Apesar das vantagens e da ampla divulgação dos conceitos da era digital, a maioria das empresas não possuem um planejamento consistente para a inclusão da transformação digital em suas realidades.

A revolução digital está acontecendo agora e os seus efeitos já estão sendo percebidos em todos os setores econômicos, portanto as empresas que ficarem apenas observando as consequências da era digital, se tornarão obsoletas em um curto período de tempo.

Vale lembrar que as vantagens propiciadas por essa transformação podem ser obtidas por empresas de qualquer segmento que se proponham a desenvolver estruturas e culturas que absorvam essas vantagens.

Quanto antes as empresas adotarem o estilo de vida digital, maiores serão as chances de criar oportunidades diante das incertezas e estar um passo à frente no sentido de reinventar-se e manter-se relevante no mercado.

E então? Você está preparado para a era digital?

Conte pra gente quais têm sido as maiores dificuldades para implantar a transformação digital na sua empresa aqui nos comentários!

 

Fonte: OBJECTIVE